Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

{Cotovia} e Companhia

Olá Pessoas! Bem-vindas ao blogue da Cotovia onde (m)ando {cotovia}ando! Sigam a cor deste vôo: "Nascemos poetas, só é preciso lembrá-lo. Saber é quase tudo. Sentir é o Mundo." @mafalda.carmona

Olá Pessoas! Bem-vindas ao blogue da Cotovia onde (m)ando {cotovia}ando! Sigam a cor deste vôo: "Nascemos poetas, só é preciso lembrá-lo. Saber é quase tudo. Sentir é o Mundo." @mafalda.carmona

{Cotovia} e Companhia

26
Out20

Viva a Liberdade...e o algodão doce...

Dia #3/100


Cotovia@mafalda.carmona

...E as nuvens

  • ...e viva a Arquitectura que estamos no mês de outubro! E porquê? Porque dão sentido à vida. Pelo menos em parte.

Pensando sobre isso, o que dá sentido a uma vida? O trabalho? A família? O dever? O poder? A devoção? O amor? Porventura a criatividade? As pessoas?

Acho que (...e se não leram o post sobre a importancia de achar podem ler aqui... ), não apenas na vida mas também na arquitectura, são todos.

Falando inicialmente da arquitectura, porque é coisa e das coisas falamos mais facilmente e ferimos menos susceptibilidades:

Porque, na criatividade do gesto sobre o lugar, essencial para exercer a arquitectura são precisos, pelo menos, 6 elementos: imaginação, lugar, tempo, possibilidade, capacidade e pessoas.
E depois disso muitos outros, entre eles a relação com o cliente, com as entidades municipais, com as especialidades, regulamentos legais e mais.
Mas destes, apenas num elemento existe o controle, que é a imaginação, no entanto se os outros 5 elementos não forem convenientemente conjugados, não existe a chamada "capacidade".


Por isso a arquitectura é arte e técnica.

Porque precisa de responder a um programa, precisa de ter um cliente que a torne sustentável, precisa ser exequível financeiramente, precisa solucionar um determinado problema, precisa ser, no fundo uma ferramenta apurada para chegar a um objectivo, é um "fix it" como na série de TV, e entristece-me quando, demasiadas vezes acaba por ser, apenas, um problema. Basta olhar em volta.


Pode, é verdade, no seu melhor, criar todo um mundo excepcional, tornar experiências sensoriais uma realidade palpável extraordinária e abalar emocionalmente quem a contempla ou dela frui. Quem fica indiferente ao visitar a obra maior de Gaudi?

gaudi.jpg

Fotografia de Mafalda Carmona

Suponho ninguém, porque os gestos dos génios não são desenhados para a indiferença, são consumados para durar uma eternidade. Mas, não são, em momento algum, um gesto isolado.

Não são reflexo de um ato de liberdade, não são livres. Não porque, em primeiro lugar temos a gravidade, temos a matéria em segundo, depois temos as pessoas, o factor humano, e qualquer um destes factores impõem constrangimentos ao exercício da liberdade.

Aliás se existisse esse 7° factor na arquitectura, o da liberdade, não seria arquitectura, seria qualquer outra coisa, como nuvens ou algodão doce ou chuva ou espaço 1999 e voava.

E, isso nem monsieur Le Corbusier conseguiu, mesmo pondo as suas obras elevadas sobre esqualidos pilotis, nem Oscar Niemayer com suas redondas espacialidades que quase pairam, mas não.

SmartSelect_20221003_174225_Samsung Notes.jpg

Ilustração de @mafalda.carmona com base na Fotografia Via Metrópoles. Imagem de divulgação. Autor Nani Goes

Assim, se confinados, a arquitectura que nos rodeia sofre a transmutação para a sua pior versão, a da imobilidade, da limitação, da barreira. Porque, em confinamento, se torna numa concha demasiado pequena para ser, o existir, e ainda que devamos a evolução da espécie ao sedentarismo, isso não impede que se sinta a imobilidade, impotência, a claustrofobia, e estas limitações obrigam a, necessariamente, procurar, novamente, a liberdade.


E, como matéria que não voa, nem estica, nem se espande, então a mente toma-lhe o lugar e voa.

Escapa-se noutros gestos, outros meios de sobrevivência, de comunicação, em exercício de Houdini pode concretizar-se na redescoberta do amor primário pelas formas. Sim, mas agora pelas formas das letras, pela sonoridade das palavras quando se agrupam, a expectativa da pontuação, as imagens criadas pelos parágrafos. Um outro mundo paralelo de criatividade, o da escrita, para continuar a construir histórias, narrativas, não de pedra e cal ou cimento ou qualquer outra materialidade, e redescobrir, uma vez mais a liberdade. Com letras e um meio de as fixar, pode levar-se a cabo a construção de um universo infindo, que só necessita de dois elementos : tempo e imaginação.

Onde o gesto do desenho da criação das formas e das suas relações passa a ser o da escrita.

Escritos.jpg

Os meus escritos antes da escrita.

Neste criar o que se quiser e se expressar seja o que for, acessível a todos, tão democrático quanto livre, existe também este inspirar profundo, este respirar sem constrangimento ou emergência, apesar das pandemias, crises, guerras ou por causa delas.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Quem é esta Cotovia?

Sigam-me Noutros Vôos

{Instagram}

{Cotovia} Instagram Feed

{Facebook}

Ilustração Perfil @mafalda.carmona

Vôos de Outras Aves

  • cumplicedotempo

    Num mundo tão cinzento no que se refere a politiqu...

  • cumplicedotempo

    Eu bem digo minha amiga Cotovia, preciso tempo par...

  • Cotovia@mafalda.carmona

    Que bom que gostaste, fiquei muito emocionada com...

  • Ana D.

    Quem dera que os nossos políticos tivessem tamanho...

  • Ana D.

    Muito obrigada pela partilha deste excelente conto...

Calendário

Outubro 2020

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Voar ao calhas

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
Blogs Portugal

{Cotovia} em Colectânea

Sinopse A Coletânea “ERA UMA VEZ…ALENTEJO” é uma obra que inclui poemas, fotografias, ou obras artísticas originais cujo tema e foco principal seja o Alentejo, e está abrangida no projeto europeu “Antologias Digitais”. Tendo a cidade de Évora sido recentemente nomeada Capital Europeia da Cultura 2027, faz todo o sentido homenagear não só a cidade como também toda a beleza circundante e riqueza cultural da região, e observar as maneiras como estas inspiram as pessoas de vários pontos do globo. Autor: Vários Formato: pdf Edição: 08.05.2023 Ilustração capa e contracapa: Ana Rosado; Vítor Pisco Editora Recanto das LetrasBaixar e-book

{Cotovia} em Antologia

Sinopse Aquilo que temos vindo a testemunhar desde 20 de fevereiro de 2022, provoca em nós sentimentos complexos, melhor expressados através da arte. Esta antologia recolhe estes sentimentos, e distribui-os para quem neles se reconforta e revê. Para o povo ucraniano, fica a mensagem de acolhimento, não só em tempos de crise, mas sempre. Porque é difícil expressar a empatia por palavras, mas aqui fica uma tentativa, por 32 autores, nacionais e internacionais. Autor: Instituto Cultural de Évora Formato: pdf Edição: 14.08.2023 Ilustração capa e contracapa: Ana Rosado Editora Recanto das Letras

{Apoio à Vítima}

A APAV tem como missão apoiar as vítimas de crime, suas famílias e amigos, prestando-lhes serviços de qualidade, gratuitos e confidenciais. É uma organização sem fins lucrativos e de voluntariado, que apoia, de forma qualificada e humanizada, vítimas de crimes através da sua Rede Nacional de Gabinetes de Apoio à Vítima e da sua Linha de Apoio à Vítima – 116 006 (dias úteis: 09h – 21h). Aquando de um crime, muitas pessoas, para além da vítima directa, serão afectadas directa ou indirectamente pelo crime, tais como familiares, amigos, colegas. A APAV existe para apoiar. Os serviços da APAV são GRATUITOS e CONFIDENCIAIS.

{Notícias Sobre a Ucrânia}

A UE condena com a maior veemência a agressão militar não provocada e injustificada da Rússia contra a Ucrânia. Trata-se de uma violação flagrante do direito internacional, incluindo a Carta das Nações Unidas. Apelamos à Rússia para que cesse imediata e incondicionalmente todas as hostilidades, retire o seu pessoal militar e equipamento de todo o território da Ucrânia, no pleno respeito pela soberania, independência e integridade territorial da Ucrânia dentro das suas fronteiras internacionalmente reconhecidas. A UE apoia os princípios e objetivos fundamentais da fórmula de paz da Ucrânia enquanto via legítima e credível rumo a uma paz global, justa e duradoura.
Em destaque no SAPO Blogs
pub