Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

{Cotovia} e Companhia

Olá Pessoas! Bem-vindas ao blogue da Cotovia onde (m)ando {cotovia}ando! Sigam a cor deste vôo: "Nascemos poetas, só é preciso lembrá-lo. Saber é quase tudo. Sentir é o Mundo." @mafalda.carmona

Olá Pessoas! Bem-vindas ao blogue da Cotovia onde (m)ando {cotovia}ando! Sigam a cor deste vôo: "Nascemos poetas, só é preciso lembrá-lo. Saber é quase tudo. Sentir é o Mundo." @mafalda.carmona

{Cotovia} e Companhia

24
Out20

A teoria do menos é mais

Dia #1/100


Cotovia@mafalda.carmona

Ou como o Amor tende para o infinito negativo…

 

  • Ou porque para mim, o amor é rápido, indelével e tende para o menos infinito. Isto porque entendo que, quando amamos, aquele amor só existe porque o Big Bang teve lugar, o universo aconteceu, toda uma história natural e da humanidade progrediu esforçadamente ao longo de milénios para chegar ao Amor, que na verdade nasceu e existe desde lá muito atrás, no tal menos infinito.

Te_Llevo_en_Mi_Universo_1-original-original.jpg

Autor: Fito Espinosa https://www.fitoespinosa.com/

Por isso não quero sequer considerar a existência de um Big Bang ao contrário, nem mesmo se localizado num tempo infinitamente longínquo lá à frente, mas possível, para acabar com o Amor.

Dito isto, prefiro não dizer que o Amor é infinito e mais além, porque nesta frase o fim está presente. Até porque sei de onde venho, mas sinceramente não posso saber para onde vou, que o exemplifique esta pandemia.

Big Bang ou grande Expansão é a teoria cosmológica dominante sobre o desenvolvimento inicial do universo. Os cosmólogos usavam o termo "Big Bang" para se referir à ideia de que o universo estava originalmente muito quente e denso em algum tempo finito no passado.

in Wikipédia

Assim, para mim, o Amor é mesmo desde sempre, inevitável e se houver um infinito nesta equação, sinto-me mais tranquila com o negativo. Com o menos.
É por isso, na verdade não apenas por isso, mas sobretudo por isso, que nutro uma profunda intolerância, sim porque em certas coisas sou intolerante, pela voracidade do mais. Querer sempre mais, mais de tudo, mais do mesmo, mais diferente, mais à frente de todos, passar mais por cima do outro… ser mais, ser superlativamente mais. Para quê tanta urgência nisto do mais? O menos tem igualmente benefícios, para além, obviamente, da teoria em arquitetura do menos é mais.


Assim, vejamos, ou listemos, como queiram, de forma mais ou menos livre:
Menos sofrimento, menos egoísmo, menos protagonismo, menos dor, menos individualismo, menos vedetismo, menos ruído, menos desperdício, menos lixo (incluindo o mental) … tantos outros menos poderia aqui indicar onde talvez o “menos estupidez se faz favor” fosse ocupar um lugar no top da classificação dos 10 menos mais.

Estupidez.JPG

Xutos e Pontapés in https://www.dn.pt/opiniao/opiniao-do-leitor/estupidez-gananciosa-leva-me-o-pais-para-a-cova-3638629.html

E o que considero eu, do alto da minha intolerância, como sendo a estupidez? Tudo aquilo que está no mais infinito em oposição ao Amor.

Porque só a estupidez prefere ser estúpida em vez de ser amorosa. Só a estupidez pode considerar cometer um ato estupido em lugar de um ato de Amor. Só a estupidez olha para dentro em continuum em vez de olhar para o outro com Amor. Só a estupidez repete mil vezes e mais outras mil o mesmo erro por puro desamor. Aliás a estupidez é tão mais estupida que nem sequer é um disfarce provisório ou uma capa transitória, é mesmo intrínseca. Sim, só a estupidez tende para o mais infinito e mais além.

Fraca compensação é verificar que na definição no dicionário para “estupidez” e “amor” há claramente uma valorização do amor que, infelizmente, não me parece acompanhar a visão da sociedade e do mundo em relação a esta luta de Titãs.

Partilho também uma fotografia do "Cântico do Amor" que fez parte da cerimónia do casamento entre a minha filha S.C.T e o meu genro D.C.T. em 2016, como outro exemplo de definição de amor, comum na Bíblia hebraica e num dos livros poéticos e sapienciais do Antigo Testamento da Bíblia cristã conhecido também como Cantares, Cânticos de Salomão ou Cântico Superlativo. 

Cantico do Amor 2016.jpg

Mas, depois do que expus, segundo esta minha teoria, existe a possibilidade de, então, se considerar a existência de um Big Bang ao contrário para a estupidez, mesmo se localizado num tempo infinitamente longínquo lá à frente, mas possível. Imaginem comigo como seria esse mundo… sem estupidez, mesmo se lá ao longe nesse infinito finito para onde todos vamos e onde só o Amor sobrevive.

 

E tenho dito (...com - vários- P.S. já em baixo), neste primeiro dia dos 100 dias criativos!
 
P.S.
Tal como vos disse na publicação de ontem, já tinha encontrado este projeto dos 100 dias, mas como por vezes a atenção desta Cotovia parece a de um gato solto a um monte de folhas ao vento, dispersei em outros voos e paragens, não que mais importantes ou interessantes.
 
Mas, como acredito que as coisas, as pessoas e os lugares regressam a nós quando deles mais precisamos, aqui vai uma partilha através do blog da Sara Farinha para o desafio dos 100 dias…
 
 
Porque é mesmo importante continuar a ser criativa e, pelo menos de vez em quando, fazer aquilo que nos faz felizes... Por exemplo começar com um primeiro dia e experimentar até ao 100º e sabe-se lá o que pode acontecer ao 101º dia?!
 
P.S.#2
A Sara Farinha alertou para o facto de os comentários no blog sapo da Cotovia e Companhia estarem desativados para os não utilizadores do sapo. Andei a alterar as definições e espero ter sido bem-sucedida. Os vossos comentários são bem vindos, até porque é monótono isto de ser apenas a minha opinião que conta! 😉
 
 
P.S.#3 Mesmo Importante!
Atenção! A belíssima ilustração é de autoria de Fito Espinosa!
Podem ver mais coisas sobre este maravilhoso artista plástico, pintor, ilustrador e professor (entre outros) no instagram do autor e em fitoespinosa.com

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Quem é esta Cotovia?

Sigam-me Noutros Vôos

{Instagram}

{Cotovia} Instagram Feed

{Facebook}

Ilustração Perfil @mafalda.carmona

Vôos recentes

Vôos de Outras Aves

  • cumplicedotempo

    Num mundo tão cinzento no que se refere a politiqu...

  • cumplicedotempo

    Eu bem digo minha amiga Cotovia, preciso tempo par...

  • Cotovia@mafalda.carmona

    Que bom que gostaste, fiquei muito emocionada com...

  • Ana D.

    Quem dera que os nossos políticos tivessem tamanho...

  • Ana D.

    Muito obrigada pela partilha deste excelente conto...

Calendário

Fevereiro 2024

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829

Voar ao calhas

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
Blogs Portugal

{Cotovia} em Colectânea

Sinopse A Coletânea “ERA UMA VEZ…ALENTEJO” é uma obra que inclui poemas, fotografias, ou obras artísticas originais cujo tema e foco principal seja o Alentejo, e está abrangida no projeto europeu “Antologias Digitais”. Tendo a cidade de Évora sido recentemente nomeada Capital Europeia da Cultura 2027, faz todo o sentido homenagear não só a cidade como também toda a beleza circundante e riqueza cultural da região, e observar as maneiras como estas inspiram as pessoas de vários pontos do globo. Autor: Vários Formato: pdf Edição: 08.05.2023 Ilustração capa e contracapa: Ana Rosado; Vítor Pisco Editora Recanto das LetrasBaixar e-book

{Cotovia} em Antologia

Sinopse Aquilo que temos vindo a testemunhar desde 20 de fevereiro de 2022, provoca em nós sentimentos complexos, melhor expressados através da arte. Esta antologia recolhe estes sentimentos, e distribui-os para quem neles se reconforta e revê. Para o povo ucraniano, fica a mensagem de acolhimento, não só em tempos de crise, mas sempre. Porque é difícil expressar a empatia por palavras, mas aqui fica uma tentativa, por 32 autores, nacionais e internacionais. Autor: Instituto Cultural de Évora Formato: pdf Edição: 14.08.2023 Ilustração capa e contracapa: Ana Rosado Editora Recanto das Letras

{Apoio à Vítima}

A APAV tem como missão apoiar as vítimas de crime, suas famílias e amigos, prestando-lhes serviços de qualidade, gratuitos e confidenciais. É uma organização sem fins lucrativos e de voluntariado, que apoia, de forma qualificada e humanizada, vítimas de crimes através da sua Rede Nacional de Gabinetes de Apoio à Vítima e da sua Linha de Apoio à Vítima – 116 006 (dias úteis: 09h – 21h). Aquando de um crime, muitas pessoas, para além da vítima directa, serão afectadas directa ou indirectamente pelo crime, tais como familiares, amigos, colegas. A APAV existe para apoiar. Os serviços da APAV são GRATUITOS e CONFIDENCIAIS.

{Notícias Sobre a Ucrânia}

A UE condena com a maior veemência a agressão militar não provocada e injustificada da Rússia contra a Ucrânia. Trata-se de uma violação flagrante do direito internacional, incluindo a Carta das Nações Unidas. Apelamos à Rússia para que cesse imediata e incondicionalmente todas as hostilidades, retire o seu pessoal militar e equipamento de todo o território da Ucrânia, no pleno respeito pela soberania, independência e integridade territorial da Ucrânia dentro das suas fronteiras internacionalmente reconhecidas. A UE apoia os princípios e objetivos fundamentais da fórmula de paz da Ucrânia enquanto via legítima e credível rumo a uma paz global, justa e duradoura.
Em destaque no SAPO Blogs
pub