Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

{Cotovia} e Companhia

Olá Pessoas! Bem-vindas ao blogue da Cotovia onde (m)ando {cotovia}ando! Sigam a cor deste vôo: "Nascemos poetas, só é preciso lembrá-lo. Saber é quase tudo. Sentir é o Mundo." @mafalda.carmona

Olá Pessoas! Bem-vindas ao blogue da Cotovia onde (m)ando {cotovia}ando! Sigam a cor deste vôo: "Nascemos poetas, só é preciso lembrá-lo. Saber é quase tudo. Sentir é o Mundo." @mafalda.carmona

{Cotovia} e Companhia

29
Jan24

Meio Século

Reflexões {Desafio 50 anos - reedição}


Cotovia@mafalda.carmona

FB_IMG_1679875999623.jpg

Em resposta ao desafio de 2019 {50 anos} aqui.

Meio Século

Já vivi meio século nesta sina.
Nasci numa sexta-feira em Alfama,
Fiz (54) 55 anos no Dia de Todos os Santos,
E quando olho para trás, não nego:
Vejo a vida a refletida num espelho luzidio,
De uma história escrita em três partes,
Por uma ordem interna mal definida.
Entre os pontos cardeais norte, sul e oeste,
Giram, e reviram, o corpo, a emoção e a razão.

No calendário perpétuo desta vida,
Os sinos já marcaram a quinta hora.
Pergunto se serei como um gato,
Para ter pelo menos 7 vidas?

Ou mais, muitas mais? Quantas terei?

Será o número final o sete?
Ou será que lhe somo mais uma, a oitava,
Para, como gosto, ter um número par?
Porventura uma nona e chegar aos 100,
E com isso ficar maravilhada!
Mas para já vou contá-las uma a uma:

A primeira dos zero aos 10, uma prisão;
A segunda dos 10 aos 20, educação;
A terceira dos 20 aos 30, maternidade;
A quarta dos 30 aos 40, profissão;
A quinta dos 40 aos 50, liberdade;
E a sexta estou a viver com felicidade...
Não sei o que se segue, mas para já,
Estou muito contente nesta roda.
Bem hajam as Pessoas e a amizade,

Aqui estamos, aqui vamos!
Cá estarei compadres e comadres.

Nesta que é a contínua andança,
Em boa companhia e bom tom.
Sem destoar, com alegria e gratidão,
Somos todos Um nesta comunidade. 
Como amigos vamos caminhando,
Até chegar a hora de em paz ir embora,
Ou do até já que estou chegando.

E assim, quem dera seja para sempre

A possibilidade de dizer presente!

Ser como Matusalém para tudo fazer

Tudo apreciar nesta linda viagem,

Preciosa dádiva que a vida contém!

 

Mafalda Carmona

FB_IMG_1679901097424.jpg

Arbusto Mal-me-quer foto de Mafalda Carmona 

P.S. 

Fotografia do arbusto dos malmequeres e alecrim:

Screenshot_2023-03-28-08-38-59-193-edit_com.miui.g

 

13
Out23

Gato

Desafio 1foto1texto


Cotovia@mafalda.carmona

IMG_20231012_150557.jpg

Poema Tanka #12

E se... fosses gato abandonado?

**

Estranho destino,
Da linha escorregadia,
É chão sem beleza.

*

Na desesperança nua,
Qual a flor que se revolta?

****

Mafalda Carmona

12.10.23 | hr. 19:46

IMG_20231012_150318.jpg

IMG_20231012_150231.jpg

{Fotografias do meu amigo patudo, o Sushi que não gosta muito de ser modelo fotográfico, mas é muito curioso , como convém, e a fazer jus à sua fama de gato, para além disso sabe contar e também miar pela noite fora, e de madrugada, e basicamente a toda a hora, não é esquisito quando está de feição reclamadora ou miadora. Foi abandonado por humanos e pela própria mãe, tem 11 anos e gosta muito da sua família humana, e nós dele.}

Para saber mais sobre este desafio 1foto1texto a ligação para o blogue da Isabel do blogue "Pessoas e Coisas da Vida".

Para ver os desafios anteriores da Cotovia:

E se... chovessem arco-íris? #1

E se... o mar fosse de tecido? #2

E se... as mesas falassem?#3

E se... a divisão não existisse?#4

E se... as letras andassem?#5

E se... fossemos sempre crianças?#6

E se... o tempo parasse?#7

E se... fossemos flores?#8

E se... a palavra tivesse dono?#9

E se... houvesse Paz?#10

E se... o Céu fosse uma prisão?#11

28
Ago23

Flores de Areia

{Fotografia e Soneto Hendecassílabo}


Cotovia@mafalda.carmona

FB_IMG_1693189075453.jpg

 

(1) Flores de Areia

**

Cobre o teu rasto impassível e inerte,

Corre rápido o compasso outrora teu.

Apaga o caminho que Deus não concedeu,

Marca o tempo entre o fado e a triste sorte.

*

Já não está em ti mas solta no vento,

Saudade ao longo da praia se estende,

Deserto em glória que não se entende,

Na memória que embala o desalento.

*

O pranto mudo foi teu direito, sim,

Recebido em sina de dias contados,

No silêncio entre o princípio e o fim.

*

Lágrimas decalcadas em quente amor,

A tua coroa é flor de outras campas,

Descanso partilhado em eterna dor.

**

Mafalda Carmona

28.08.23 | hr. 07:15

(1) Fotografia de Mafalda Carmona, Lagoa de Albufeira, Sesimbra, 30.09.22

20
Abr23

Apis Mellifera

Desafio Poético {@mafalda.carmona}


Cotovia@mafalda.carmona

22469455_y8LGe.jpeg

  •  
  •  

*Fotografia do blogger PJ Cortes

  • "de uma flor de esteva a ser visitada por uma apis mellifera, a nossa conhecida abelha, a tratar da sua vida, que é como quem diz, a recolher o pólen para fazer aquele mel delicioso que grande parte de nós tanto gosta. Lembrei-me agora: minha cara Cotovia, não daria esta relação "flor/abelha" um tema para um poema (até rimou)? Fica a sugestão..."

*Autor da citação PJ Cortes (autor da fotografia, PJ Cortes) 

E foi neste post publicado pelo caro PJ Cortes que surgiu este desafio para inspiração de uma criação poética, o segundo, podem ver na publicação Flor II um outro poema inspirado noutra fotografia do PJ Cortes aqui.

Aqui fica o poema, em formato de soneto inverso (sem saber se este termo existe, Nota em outubro 2023, fui esclarecida de que o termo para este formato é soneto inverso pela nossa poetisa Mª. João Brito de Sousa), pois os últimos tercetos, que dita a regra deveriam seguir-se aos dois quartetos, aparecem em primeiro lugar. Isso aconteceu porque tenho maior dificuldade em idear e formalizar os primeiros versos dos quartetos, e depois na finalização do soneto parece que me falta "espaço" nos tercetos para as imagens a concretizar. Assim, mesmo que esteja completamente errado, pareceu-me certo, e por isso fui em frente.

 

Assim, este é o resultado de mais este exercício poético desta aprendizagem na construção poética do soneto:

 

Apis mellifera

 

Quanto será o cuidado necessário,

Para cuidar da "nossa" Natureza,

Indiferente à humana moral?

 

Que no desgastado corpo unitário,

Da enorme baleia à pequena abelha,

Embala as espécies por igual.

 

Dentre todos os seres sobre o Sol,

É esta última o primeiro elemento,

De flor em flor é o binómio perfeito,

Rainha Mestra e dulcíssimo farol.

 

Sejamos serenos como este par,

Impar de humilde e simples comunhão,

Para viver com fé em paz e união,

O pobre Mundo amar e respeitar.

 

Mafalda Carmona 19.04.23

 

P.S.

Como no exercício anterior partilho as diferentes etapas da construção deste poema, a primeira tal como escrevo quando imagino as imagens do poema, em seguida escandir e verificar a métrica fazendo as alterações necessárias, por vezes mudo significativamente alguns versos, finalmente o poema na versão final.

Embora o trabalho nunca esteja finalizado, pois há sempre lugar para procurar  melhorar a escolha de palavras, a estrutura e a métrica, e até reescrevê-los para experimentar novas ideias e técnicas. Também terei de aumentar o conhecimento deste imenso mundo da poesia pela leitura de autores, o estudo dos seus sonetos e, claro, a prática constante são fundamentais para conseguir melhorar a escrita de poesia em formato soneto.

O apoio e ajuda preciosa que tenho tido das Pessoas queridas aqui no espaço Sapo, tem sido fundamental, nos vossos comentários, mesmo se por vezes de forma discreta, consigo perceber as vossas sugestões e agradeço o incentivo, outras vezes de forma mais direta e constante, mas todas as participações são bem vindas, assim como a leitura das escritas nos vossos blogs, sejam de poesia ou prosa, que são uma visita recorrente nos meus voos. 

Aqui vamos continuando, para a frente é que é caminho, Pessoas!

Screenshot_2023-04-20-00-00-56-621-edit_com.miui.n

Screenshot_2023-04-23-18-30-27-138-edit_com.miui.n

Screenshot_2023-04-20-05-57-49-609-edit_com.miui.n

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Quem é esta Cotovia?

Sigam-me Noutros Vôos

{Instagram}

{Cotovia} Instagram Feed

{Facebook}

Ilustração Perfil @mafalda.carmona

Vôos de Outras Aves

Calendário

Junho 2024

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Voar ao calhas

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
Blogs Portugal

{Cotovia} em Colectânea

Sinopse A Coletânea “ERA UMA VEZ…ALENTEJO” é uma obra que inclui poemas, fotografias, ou obras artísticas originais cujo tema e foco principal seja o Alentejo, e está abrangida no projeto europeu “Antologias Digitais”. Tendo a cidade de Évora sido recentemente nomeada Capital Europeia da Cultura 2027, faz todo o sentido homenagear não só a cidade como também toda a beleza circundante e riqueza cultural da região, e observar as maneiras como estas inspiram as pessoas de vários pontos do globo. Autor: Vários Formato: pdf Edição: 08.05.2023 Ilustração capa e contracapa: Ana Rosado; Vítor Pisco Editora Recanto das LetrasBaixar e-book

{Cotovia} em Antologia

Sinopse Aquilo que temos vindo a testemunhar desde 20 de fevereiro de 2022, provoca em nós sentimentos complexos, melhor expressados através da arte. Esta antologia recolhe estes sentimentos, e distribui-os para quem neles se reconforta e revê. Para o povo ucraniano, fica a mensagem de acolhimento, não só em tempos de crise, mas sempre. Porque é difícil expressar a empatia por palavras, mas aqui fica uma tentativa, por 32 autores, nacionais e internacionais. Autor: Instituto Cultural de Évora Formato: pdf Edição: 14.08.2023 Ilustração capa e contracapa: Ana Rosado Editora Recanto das Letras

{Apoio à Vítima}

A APAV tem como missão apoiar as vítimas de crime, suas famílias e amigos, prestando-lhes serviços de qualidade, gratuitos e confidenciais. É uma organização sem fins lucrativos e de voluntariado, que apoia, de forma qualificada e humanizada, vítimas de crimes através da sua Rede Nacional de Gabinetes de Apoio à Vítima e da sua Linha de Apoio à Vítima – 116 006 (dias úteis: 09h – 21h). Aquando de um crime, muitas pessoas, para além da vítima directa, serão afectadas directa ou indirectamente pelo crime, tais como familiares, amigos, colegas. A APAV existe para apoiar. Os serviços da APAV são GRATUITOS e CONFIDENCIAIS.

{Notícias Sobre a Ucrânia}

A UE condena com a maior veemência a agressão militar não provocada e injustificada da Rússia contra a Ucrânia. Trata-se de uma violação flagrante do direito internacional, incluindo a Carta das Nações Unidas. Apelamos à Rússia para que cesse imediata e incondicionalmente todas as hostilidades, retire o seu pessoal militar e equipamento de todo o território da Ucrânia, no pleno respeito pela soberania, independência e integridade territorial da Ucrânia dentro das suas fronteiras internacionalmente reconhecidas. A UE apoia os princípios e objetivos fundamentais da fórmula de paz da Ucrânia enquanto via legítima e credível rumo a uma paz global, justa e duradoura.
Em destaque no SAPO Blogs
pub